Demônios

Nem os demônios nem os anjos são seres à parte da Criação
A Criação dos seres inteligentes é una. Ligados a corpos materiais, estes seres constituem a humanidade que povoa a Terra e os outros planetas habitados; sem esses corpos, constitui o mundo espiritual, que povoam os espaços.

Deus não deu ao espírito a perfeição    
Deus criou-os perfectíveis e deu-lhes por objetivo a perfeição, com a felicidade que dela decorre. Deus não lhes deu, contudo, a perfeição, pois quis que a obtivessem por seu próprio esforço, a fim de que também e realmente lhes pertencesse o mérito.

Desde o momento da sua criação que os seres progridem, quer encarnados, quer no estado espiritual.
Disso resulta que há Espíritos em todos os graus de adiantamento moral e intelectual, conforme a posição em que se achem, no alto, embaixo ou no meio da imensa escala do progresso.

Nós não lhes damos tal nome
Pois entendemos que o mesmo se prende à ideia de uma criação distinta do gênero humano, com seres de natureza essencialmente perversas, votados ao mal eternamente e incapazes de qualquer progresso para o bem.
Segundo a crença popular, os demônios foram criados bons e tornaram-se maus por sua desobediência: são anjos colocados primitivamente por Deus no ápice da escala, tendo dela decaído.
Segundo nosso entendimento, os demônios são Espíritos imperfeitos, suscetíveis de regeneração e que, colocados na base da escala, hão de nela graduar-se.
Os que por indiferença, negligência, obstinação ou má vontade persistem em ficar por mais tempo nas classes inferiores, sofrem as consequências dessa atitude, e o hábito do mal lhe dificulta a regeneração.
Chega-lhes, porém, um dia a fadiga dessa vida penosa e das suas respectivas consequências; eles comparam então, a sua situação, à dos bons Espíritos e compreendem que o seu interesse está no bem, procurando-o então, melhorarem-se      por ato de espontânea vontade, sem que haja nisso o mínimo constrangimento. Eles estão, submetidos à lei geral do progresso, em virtude da sua aptidão para progredir, não progridem, ainda assim, contra a sua vontade.
Para isso, Deus fornece-lhes constantemente os meios, porém, com a faculdade de aceitá-los ou recusá-los. Se o progresso fosse obrigatório, não haveria mérito e Deus quer que todos tenham o mérito de nossas obras. Ninguém é colocado em primeiro lugar por privilégio, mas o primeiro lugar a todos é franqueado à custa do esforço próprio.
Os anjos mais elevados conquistaram a sua graduação, passando como os demais, pela rota comum.
Chegados a certo grau de pureza, os Espíritos têm missões adequadas ao seu progresso; preenchem assim, todas as funções atribuídas aos anjos de diferentes categorias.

Exu e demônio
Exu, dentro desta escala, é confundido com os quiumbas e demônios, mas na verdade são espíritos que conquistaram a sua graduação dentro de seu campo de atuação e este nível de graduação, será sempre um mistério.
Exu, no seu ultimo grau de pureza, pode ser considerado um anjo, mas não que decaiu por se revoltar contra Deus, mas sim, um espírito que por seus méritos, se tornou anjo e por opção, escolheu permanecer nos níveis inferiores para auxiliar na ordem para que outros progridam.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s